Dia Mundial dos Corais: Uma vitória para ser celebrada

Neste 28 de janeiro, celebramos os Corais da Amazônia com o sentimento de dever cumprido. Todos nós que fomos às ruas, que assinamos as petições, que fizemos doações para viabilizar essas importantes expedições, ajudamos a proteger um ecossistema único, e podemos ter evitado também uma tragédia imensurável em uma das regiões mais belas e exuberantes do planeta.

Comemoramos a primeira vitória!

Em dezembro, o Ibama negou a licença para a petrolífera Total, que não poderá explorar petróleo perto deles. A decisão do Ibama é irreversível e se baseou no risco que um derramamento poderia trazer ao ecossistema.

E para marcar esses dois anos do Dia Mundial dos Corais da Amazônia, voluntários de diversas cidades foram para às ruas celebrar! Uma comemoração consciente com direito à atividades que vão de limpeza de praia à exposição com roda de conversa. Sim, é necessário celebrar! Este é um importante alerta e exemplo sobre a importância de se respeitar o processo de licenciamento ambiental.

Animated GIF

Os técnicos do Ibama avaliaram o Estudo de Impacto Ambiental da empresa por cinco vezes e constataram que ela não tinha um plano de emergência adequado para lidar com um derramamento de petróleo. Se isso acontecesse, poderíamos ter outro grande impacto ambiental como vimos agora com o rompimento da barragem em Brumadinho (MG).

Graças à avaliação exigida pelo licenciamento ambiental, um crime ambiental que poderia destruir esse ecossistema pode ter sido evitado; Por isso, é importante que a mesma seriedade concedida para a petrolífera Total em relação aos Corais da Amazônia seja aplicada na avaliação de todos os empreendimentos no Brasil para evitar que novas tragédias como Mariana e Brumadinho continuem acontecendo. Não podemos continuar permitindo interferências políticas e afrouxamentos das regras, como foi o caso da barragem em Minas Gerais, no qual a licença ambiental foi concedida de forma expressa, apesar dos riscos e avaliações técnicas apontados pela comunidade local, os ambientalistas e técnicos do Ibama.
 

Celebremos esse momento e continuemos vigilantes.